sexta-feira, novembro 25, 2005

Descobri q tinha dislexia quando fui gozada no emprego, pois fartava-me de dar erros ortográficos mesmo a escrever este pequeno texto, acreditem que já me fartei de dar erros, a minha sorte é que primeiro fiz o texto em Word.
Um colega meu sugeriu q eu me informasse a cerca deste transtorno, n hesitei, pois é um problema que já me acompanha à 22 anos.
Tudo começou na primária no meu 1º ano de escolaridade, dificuldade em escrever e em ler.
Posteriormente erros ortográficos em copias, cada vez q ouvia falar em copias “termia como vara verde”, pois sabia q depois de um pequeno ditado vinham muitas reguadas de uma professora primária ignorante e BURRA (infelizmente ainda existem professores primários assim, n generalizo) escrevia as palavras difíceis montes de vezes e de que me valia o meu pânico era tanto q me esquecia delas logo a seguir.
Tinha pânico àquela Prof., ela fazia distinção entre as crianças de posses e as outras.
Só o cheiro a escola me apavorava eu sabia que se gaguejasse a ler teria uma estalada na cara como recompensa, mas, existia uma coisa q me distinguia em relação aos outros alunos era a capacidade de fazer boas composições.
Na minha quarta classe ela reprovou-me e eu pude chegar à conclusão de que aquela Prof. eram uma péssima profissional, foi com outra professora q eu descobri de que era capaz de aprender como as outras crianças.
Mais tarde descobri q foi a partir dessa altura que se manifestou um tique nervoso, o qual só se manifesta quando me sinto muito feliz. Acabava os problemas de matemática e ficava toda contente.
A partir dali, fui tendo boas notas chegando a ser vários anos a melhor da turma, é obvio que os meus problemas em ler em voz altar e em escrever continuaram a existir, mas, isso n significava q eu n pudesse ter as mesmas capacidades em raciocinar tal qual os outros alunos.
Fiz o secundário e n tive qualquer problema em entrar para o curso e para o sítio onde quis.
Tirei o curso em cinco anos em Eng.ª Electrotécnica, o qual actualmente exerço.
Já n tenho complexos pois sei que o que tenho n me faz nem menos nem mais q os outros sou diferente e ponto.
Espero q este pequeno testemunho ajude outras pessoas como eu, a terem mais auto estima e quanto aos professores, esses q tenham mais respeito por pessoas como eu pois nós somos seres humanos e a repreensão através da pancada n é nem nunca será a melhor forma de fazer chegar às crianças o conhecimento.
Obrigada pela atenção.